MAINTAINING LIBERTY:

  • SCROLL RIGHT FOR IMAGES AND DOWN FOR TEXT

*Here you will find the monologue from the sound installation printed in English and Portuguese

A public artwork by: Berglind Jóna Hlynsdóttir

Placed in: The coreto(bandstand) of Praca da Liberdade, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil 2010

Made for and commissioned by JACA – Jardim Canadá Center for Art and Technology

Text by: Berglind Jóna Hlynsdóttir

Translation to Portuguese by: Gustavo Filippi de Godoy

Vocie: Sergio Manto

Sound editing: Leo Moraes

About the work:

The work is a monologue for the bandstand of Praca de Liberdade realized both in the public space as if the bandstand itself was talking and an as an installation at the JACA art center for the show Entre Pontos, curated by Janaina Melo. It included a bilingual publication of the monologue. Belo Horizonte, Brazil 2010

Excerpt from the sound piece:

So I ask, what is the quality of life we mineiros seek for? Liberty although late like the flag says? Is it equality, freedom, education, health, social agency, friendship, love? How are these questions of the quality represented in the qualities we want of public spaces? Does a bench equal friendship, the sidewalk society, the trees our need for nature, a coreto love? How does the urban space compensate for these values? Is it assigned to them or are they inherent in their design? What values do I harbor as the child of the new republic, inaugurated at the dawn of new liberties? I was inspired by the French Revolution but still coined with Versailles in mind and in that way I am both an image of the revolution and what was being revolted against. It is this inner contradiction that might be the source of my internal torment. Ironically, although I was designed during a time called pre–modernism, the dawn of rational thinking, some say I was already a postmodernist with my mismatch of references, so maybe I am not so unlike my fair lady Rainha da Sucata over there.

Soundtrack of the public space piece Maintaining Liberty written for the coreto (bandstand) of Praça da Liberdade in Belo Horizonte, Brazil. The sountrack is in Portuguese and is of the coreto speaking:

Maintaining Liberty by Berglindjona

Manutenção da Liberdade: entre lembrar e esquecer

Manutenção da Liberdade dá voz a um monumento
tradicional da cidade de Belo Horizonte, o correto
da Praça da Liberdade, conjunto arquitetônico que
remonta a fundação da cidade no final do século
XIX. Ao redor da praça foram construídos o palácio
de governo e edifícios administrativos que abrigaram,
até recentemente, os órgãos do poder executivo desta
que foi primeira cidade planejada do país construída
especialmente para ser a capital de um estado da
república também recém proclamada. No trabalho,
o correto é uma testemunha histórica que presencia
a transformação da cidade e, compartilha com o
espectador/leitor suas impressões sobre os espaços,
lugares pontuando a transformação da cena urbana,
mas também política e social. Atento as trocas
simbólicas de que é testemunha durante os seus mais de
cem anos de existência o correto monumento/narrador
torna-se agente preconizador de estratégias críticas, ao
mesmo tempo, desafiadoras, divertidas e poéticas sobre
a natureza do processo de transformação da cidade.
O relato construído a partir da imersão e
pesquisa que a artista realiza na praça, em bibliotecas
e arquivos públicos de Belo Horizonte, num certa
medida, guarda relação com momentos importantes
da história da cidade. Porém não se compromete com
um relato histórico, ao contrário, organiza-se numa
linha tênue entre o que é visível e o que permanece na
opacidade desses acontecimentos. Fazendo com que as
pessoas – como bem destaca Nietzsche no seu texto
Dos usos e desvantagens da história para a vida –,
reconheçam um instinto forte de quando é necessário
sentir-se de modo histórico ou não-histórico. Em
Manutenção Liberdade “essa é a proposição a que o
leitor é justamente convidado a observar: o ahistórico
assim como o histórico são igualmente necessários
para a saúde de cada indivíduo, de um povo e de uma
cultura.” 1

-Janaina Melo

1 Apud: SELIGMANN-SILVA Márcio. História, Memória,
Literatura. Campinas: Unicamp, 2003, p.61.